Or what about Genital Herpes? Symptoms, treatment, remedies, cure?

CAT Spraying No More REVIEW

Cat Spraying No More is an excellent opportunity for the cat owners to learn about training the cat with a systematic approach. It helps in preventing the unwanted litter issues and other risks of bad feline behavior as well.

Or that is genital herpes?

Or genital herpes ema sexually transmitted disease (DST), caused hair virus Herpes simplex do type 2 (HSV-2) . This infection is responsible for attacking the mucous membranes of two genitals.

Dessa form, causes symptoms as ferides, dores, coceiras and great discontent na região.

Gerally, or genital herpes and transmitted us periods of active doença O seja, quando ha lesões visíveis na região genital.

Porém, mesmo we periods of remissão da infecção, quando não existem ulcers ou bolhas visíveis, podem haver vírus nas secreções genitais de homens e mulheres, or that favors or contágio.

Therefore, in the same case, or patient continues to eliminate or virus intermittently, can transmit or genital herpes for or seu parceiro (a). 70% of the genital herpes transmissões ocorrem na phase assintomática, já that during crises or patient costuma avoid ter relações sexuais.

Or use da camisinha diminui or risco de transmissão, but não or eliminates completely. A doença também não tem cure, more tem treatment. A pessoa contaminated by this virus is the rest of his life.

Or the last incubation period, which varies from 10 to 15 days in sexual relation, was taken in the presence of carriers in the state of latência (sem manifestações) that we can, at any moment, manifest to doença.

Frequência de elimção do vírus vai becomes lesser as the years passam em relação à primeira aparição do herpes. Elimção fora das crises e maior we first three months após a infecção primária.

About 10 years of infection, a transmissão fora das crises vai becoming less and less common

Patients carriers do vírus HIV that also had genital herpes são or group that mais apresentam transmissão during the asymptomatic phase.

According to the Organização Mundial da Saúde (WHO), it is estimated that 417 milhões de pessoas com idade between 15 and 49 years possuem to infection caused hair virus HSV-2.

When treating genital herpes caused HSV-1 hair, the numbers are also significant. In 2012, WHO analyzed that a prevalence of cases gives doença no world foi of 140 milhões de pessoas infected, na mesma faixa etária from 15 to 49 years.

Pelo vírus Herpes simplex type 1, a maioria two cases ocorre nas Americas, Europe and the Western Pacific. In Africa, on the other hand, asbestos of genital herpes by esse virus ocorrem, na maioria, during infancy, before the beginning of sexual life.

No case of virus HSV-2, a prevalence of malaria in Africa (31.5%), also being fairly common in Americas (14.4%).

Na Classificação Internacional de Doenças (CID-10), or genital herpes e found hair code A60.0.

Index – neste artigo você you will find as seguintes informações:

  1. Or what is genital herpes?
  2. Other types of herpes
  3. Causes
  4. Or what happens when or does a virus enter a non-organism?
  5. How does it happen to transmissão? [19659025] Crag groups
  6. Genital herpes na gravidez
  7. Symptoms and phases
  8. How is it diagnosed?
  9. Exames
  10. Herpes genital herpes cure?
  11. Qual or treatment?
  12. Treatment caseiro
  13. Medicines
  14. Convivendo
  15. Prognostics
  16. Complicações
  17. Co How to prevent?
  18. Frequent questions

Other types of herpes

As duas forms more common herpes são condições caused simpler type 1 and type 2 viral hair. Eles são responsáveis ​​for causing or genital herpes, or oral herpes or labial eo herpes-zoster.

Oral herpes

Oral herpes and caused hair virus herpes simplex type 1, characterized by the presence of symptoms such as vermelhidão, small bolhas com liquid e arência na região dos lábios ou na parte internal mouth

In 90% two cases, esse vírus is installed not a patient organism causing an asymptomatic infection, sendo or diagnosis possível just when ocorre a identificação two specific anticorpos.

When ocorre a symptomatic manifestação gives infecção, normally or first symptom to emerge gengivoestomatite or stomatite herpetic, condition that octrore quando or organism enters em contato com o Vírus.

A herpetic stomatitis is manifested as appearance of vermelhas spots on the mucosa surface of the mouth and throat, being able to back for bochechas, língua, tonsils and labia.

O virus herpes simplex type 1 costuma cause lesão just na mouth, but can be transmitted to the genital organs in case of oral sex. Once contaminated, patients with genital herpes type 1 hair transmit to do so in the same way that patients contaminated hair type 2.

Differentiates that hair types 1 costumam be more frequent and less frequent, ea transmissão fora das crises é menos comum

Herpes-zoster

Or herpes-zóster, condição conhecida também por cobreiro, é uma doença caused pelo vírus da catapora (varicella), or varicella-zoster. In spite of the fact that it causes harm to children, it does not cause any genital or oral herpes, due to some aspects.

Firstly, premature infection of the body becomes a frequent occurrence during infancy, through contato com secreções you pray Assim, depois dessa infecção, a criança finishes apresentando or typical catapora quadro, em les leses avermelhadas espalham pelo corpo e formam small bolhas com clear liquid, causing coceira e dor.

Da mesma form that or vírus simplex, or vírus It also gives varicella also presents or behaves as a result of latentness in neurons. Isso means that you can remain inative for a certain tempo, so you can rethink depois years. When it happens essa ativação, trata-se do herpes-zóster.

When or when it starts to manifest itself, symptoms arise as a form or form in a certain part of the body. Poucos dias depois, chemistry vesicles of liquid na região, semelhante to catapora, acompanhando or caminho do nervo affecta.

Once, these vesicles arise in a large and close-up manner and sooner or later than to impressão or patient tem é de That is a unique lesão.

No entanto, a vermelhidão, dores e bolhas ficam mais restores regioão do nervo affectado, no corpoha hair turning as it happens in catapora. Com or treatment, as leses devem passar hair healing process normally, secas acecascas vão saindo ao longo desse tempo, lasting in average 7 days.

Or treatment dessa doença é feito com o uso de medicamentos antivirais, para ajudar a accelerate to cicatrização das bolhas e reduzir a dor. Contudo, in some pessoas or quadro it becomes more complicated, with permanent sofreremors and difficult to control, mesmo com or tratamento.

In this case more serious cases, or patient can prepare for months or years, mesos após as feridas cicatrizarem

Different genital herpes or oral, or herpes-zoster can be prevented through vacinação. As a result, you usually receive, normally, when you are 50 years old, you will have to go to a higher condition.

People who have also been able to receive a loan to prevent you from returning. In some condições, as pessoas estão mais vulneráveis ​​a doença, for apresentarem a more imunological imunológico system, as no case of patients in chemotherapy treatment or pessoas estão sob stress intense, for example.

Normally, essa doença é mais branda em crianças e jovens, in which two symptoms occur spontaneously. In pessoas mais velhas, no entanto, to dor e mais forte e prolongada, sendo necesita muitas vezes a orientação de medicamentos mais fortes.

Não é comum, mas or herpes-zóster pode undertake os nervos do rosto. When it is happening, or patient runs or risco das lesões provorem uma infecção na cornea, condição chamada de ceratite which can cause serious vision problems when not treated correctly.

A transmissão do herpes-zóster não occurs by via-respiratórias, but pode become hair contato as lesões, hair cliff das bolhas that formam estourarem e liberarem or liquid. For example, it is necessary to take care of them, to cleanse as many as possible, to take care of them as well as to look for or treat or as soon as possible.

Causes

Or genital herpes é usually caused by infecção do vírus Herpes simplex type 2, confected by HSV-2. It can be provoked also vírus hair Herpes simplex type 1 (HSV-1), which usually causes cold sores . A transmissão pode ocorrer during crises ou remissão periods.

Or virus can not enter organism through its mucous membranes, usually peels mouth, nose and genitals.

Esses dois vírus pertencem à mesma família, a Herpesviridae. There is a group of different types, herpesvirus chamados.

O nome Herpesviridae tem origem na palavra grega herpein, which means rastejar. It is a reference to the behavior of viruses and the infections that it provokes, due to the fact that it is remembered and preserves a characteristic of latitude.

This group of viruses and beasts among human beings. I estimate that 90% of the days I have had are at least two group viruses.

Or what happens when or does not enter the body?

There are some characteristics of herpes viruses that allow differentiation of other organs. types of viruses, as its appearance conhecido as latência.

Isso édito to refer to or how Herpes Simplex and other herpesvírus conseguem breeding a small, more permanent, colônia non pessoa infected organism.

Essa colônia, in some cases, remains completely numb (inative), causing symptoms, human beings being the only hospedeiros nos quais os herpesvírus remain infectious aspect throughout life.

As we know, não In all infected patients who are infected with this inattentive behavior, they become symptomatic of tempos em tempos.

Ao enter no organism, or HSV is fixed in a certain space and it comes to breeding copies of s i mesmo, ou seja passa a espalhar. Ao move, I can end up causing from sinais sutis não reconhecíveis to more serious symptoms.

To conter esses symptoms, or imunológico system is armed and tenta to inibir to disseminação do vírus. Of certa form, or that it happens é uma brincadeira of hides-hides, em that or vírus sai ganhando. Isso because it is capable of hiding from the defense system to recover a long path, in a regio chamando gânglio.

No genital herpes, or virus remains inative no gânglio sacral, located at the base of the coluna. No case of oral or labial herpes, or virus seeks to lodge not gânglio trigêmeo, no topo coluna.

Nesses esconderijos, remains asleep e or patient volta para uma condição assintomática. For how long will it remain inative, não é possível determine.

Because of this behavior, this characteristic conferred as a latitude and many times was compared to a cycle of sound.

No entanto, different sono, we are sure to agree on all os dias, não é easy to know when or vírus vai awakening novamente, I can take days, months or years.

A common consensus among all the people was that they were all marked by the presence of irregularities na pele, considering sinais até mesmo como espinhas

More recently, researchers will discover that the virus could turn into symptomatic symptoms, characteristic of an asymptomatic disease, asymptomatic recession, or subclinical disease.

For a condition to be considered as an asymptomatic disease. and it was necessary that the following characteristics have occured:

  • When the leses are neglected by manifestarem em locais mais escondidos ou pouco notados;
  • Quando os sinais sãois confused com outras condições, como um pelo encravado;
  • Quando os sinais não são perceptíveis a olho nu.

Dessa form, we can dizer that or vírus não tem um comportamento padrão em all as pessoas, I can pass unparalleled até meso quiva ativado

Até mesmo em pessoas está cientes two symptoms and sinais da doença, it can be difficult in some cases to perceive that it is treated vírus accordando. [19659087] How it happens to transmissão?

A main form of transmission of genital herpes occurs through contato em relações sexuais sem proteção pois os vírus HSV-1 or HSV-2 can be present us fluidos corporais Da pessoa infected, such as na saliva, semen e secreções vaginais.

When it comes to genital herpes caused hair virus HSV-1, a transmissão can occur during or oral sex. Dessa form, as pessoas podem to be infected hair virus no vaginal, oral and anal sex.

A more common form of transmission occurs when algem saudável the direct contato com a pele de uma pessoa infected that presents lesões visíveis, as bolhas ou erupções , seja, during a symptomatic crise.

No entanto, também e possível constrict herpes from contato com uma pessoa infected when the não apresenta lesões visíveis, pois na maioria two cases as pessoas não apresentam symptoms and não têm conhecimento that are infected. 70% of the events occurred during the asymptomatic period.

Assim, the main forms of transmission occurred in the following manner:

  • Directly treated hair during crises of herpes;
  • Peeling saliva, se o parceiro tiver herpes oral
  • Por secreções genitais, se o parceiro tiver genital herpes;
  • Pelo contato com a pele na area on infecção aconteceu, sendo genital or oral;
  • By compartilhar brinquedos sexuais com alguém infected pelo vírus.

] Possibilities of transmission are raised in every episode in which a patient presents a crisis. According to the tempo since the last crisis, the cliffs became smaller.

How to avoid transmissão?

Além use of camisinha, other cares must be taken so that a transmissão do vírus não ocorra, as uma atenção maior Use of objects pessoais and hygiene.

It is recommended that flakes, batons ou qualquer protetor labial, sheets of barbear or depilação e toalhas de banho não devem be shared, mainly during crises.

Em algumas situações o vírus do genital herpes não é considered um risco de transmissão, how to use sanitary glasses, hair contato com roupas of bed of infected alguem e pools.

Groups of crag

Qualquer pessoa runs or risco of being infected hair vírus do herpes , independente do gênero ou idade. No case of genital herpes, or ridge and maior to quem possui a sexual life sem or use of protection.

No entanto, some groups and behaviors considered more prone to contract or genital herpes:

  • Pessoas com multiples parceiros sexuais that não fazem sex com proteção (male or female condoms);
  • Populações mais devoid with less access to basic principles of health and hygiene;
  • Pessoas that is initiating sexual life and that não possuem uma educação sexual de prevenção of DSTs;
  • Pessoas that possuem outras infecções sexually transmissíveis;
  • Pessoas that estão como enfunquecido imunológico system;
  • Mulheres.

A study published in 2009 in a journal New England Journal of Medicine constatou that circumcised homens correm less cliff of contracting or virus of genital herpes. In the meantime, either circumcision or guarantor of total protection against or replacement of the use of condoms during sexual relations.

Outra research, hairy hair Institute Carlos Chagas next to the Department of Pediatrics of the Federal University of São Paulo, observed that The prevalence of HSV-2 increases significantly in people who are committing to sexual life.

Therefore, it is of extreme importance that there is a greater need for health professionals so that adolescents have more information about it or can not. That way, it would be possible to avoid transmissão e complicações caused pela doença, assim as simultaneous infecções by HSV-1, bem as or neonatal herpes (transmitted by infected mãe for or bebê).

] Second to WHO, or genital herpes também é mais recorrente em mulheres. In 2012, it was estimated that the number of infected mulheres was 267 milhões, about 150 milhões de homens viviam com or vírus.

Or motive dessa differencia ocorre pelo fato da transmissão de homens for mulheres be more common than mulheres for homens.

Genital herpes na gravidez

O vírus behaves in a similar way to gravid and gravid women. Or big problem of herpes na gravidez é or risco de transmissão para o bebê. When it is done, it is a condition of neonatal herpes condition that can be serious and at the same lethal for a child.

This transmission, vertical transmission, during or delivery when drinking or drinking contato com secreções Contaminated no vaginal canal. Mesmo quando a gestante não apresenta symptoms, or risco de transmissão exists.

O risco maior ocorre quando to mulher is contaminated perto da dates do parto, ou seja, quando a infecção primária emerges nas last weeks of pregnancy

Isso occurs because during this time, when re-infected, mulher não possui anticorpos or enough to get inibir or virus, not allowing it to be able to cause proteção ao bebê during or delivery.

Rarely or herpes can be transmitted inside do uterus, during pregnancy, não sema uma infecção that costuma cause problems of training for or fetus.

Porém, when it is a severe case of genital herpes, during the first months of gestação há um risco, ainda pequeno , gives mulher sofrer um spontaneous abortion.

No entanto, when infected or infested no moment of childbirth, or virus can cause serious problems, such as permanent damage no central nervous system, challenges mentally and mortally.

When a virus is infected and infected before it gives birth, chances of transmitting to or drinking are reduced, whether or not it is capable of producing anti-viruses for viruses that are temporarily transmitted to or consumed by children. when the placenta is na placenta

Assim, mesmo that mulher tenha uma crise do genital herpes no moment of birth, anticorpos passados ​​for ele o ajudarão nesse momento.

To cesariana diminui rather or crest of transmission of herpes, being the most indicated form of delivery for contaminated mulheres. Contudo, não eliminates 100% the chances of contágio do bebê.

By isso, a form of prevention of neonatal herpes or adequate treatment of pregnant women, the use of antiviral drugs should be feito. Or medicine used more or Acyclovir, can be administered independently of the week of gestation in which a mulher is found.

Or genital herpes não é hereditário eo vírus não afeta to fertilization of nem and transmitted sperm hair of homem or hair ovulo da mulher . As long as there is a genital herpes, a safe pregnancy and a normal vaginal birth, except:

  • When it is an initial episode of severe genital herpes during the first 3 months of pregnancy, which may cause a spontaneous abortion, or odd muito, but it can occur with other types of viral infection;
  • When it is an initial episode in the last 3 months of pregnancy, due to a large number of viruses present and insufficient time for me to produce anticorpos to protect or fetus , can do to be transmitted to fetus, causing or neonatal herpes.

Mulheres gravid historical herpes genital herpes cujo parceiro tem a doença, devem use condoms throughout pregnancy to avoid acquiring doença neste period. Care must be taken during a pregnancy or não.

It is or historical plot of herpes in the face area, should also be avoided oral sex. Or genital herpes, em qualquer um dos pais, em geral não afeta os filhos and there is a pouco crag of transmissão since there were habits of hygiene.

Contudo, the country needs to be aware that or virus of herpes can be transmitted pelas lesões orais atraves de beijo, can cause serious and disseminated infection not recém-nascido.

Ainda that or herpes neonatal seja uma doença serious muito para o bebê, also considered rare. As agreed with American Sexual Health Association (ASHA), US, less than 0.01% two babies born infected hair hair not childbirth. No entanto, 25% to 35% of pregnant women are carriers of the virus.

This is important to understand that, in spite of the risk that runs, it is possible to share saudável e sem complicações.

e phases

Na maioria da vezes, or individual does not know who was infected with genital herpes virus, because it is common to do not manifest symptoms or symptoms. Inclusively, a majority of the patients who become infected with viruses Herpes simplex type 2 does not develop to doença, remaining asymptomatic and sem con buret contagion.

I have been suggesting that I tethered 90% two contaminated patients não desenvolvem symptoms. In some cases, the sinais passam scattered or confused as other doenças or condições, as stings of insetos, infecção por fungos ( candidíase for example), micose, acnes, espinhas e hairs encravados.

Taking into consideration that the genital herpes can vary from one person to another, it is important that each individual seek medical advice to investigate them. Assim, it will be possivel to shoot at dúvida e começar or tratamento or quanto before, independent gives clinical condição.

Or tempo in which the symptoms can rise to arise também é different in each patient. I can take poucos dias após or contato com or vírus, months or years, assim as I can never wake up.

More congesting symptoms dessa doença são as feridas that arises in a genital region. In scientific literature, essas feridas, também chamadas by vesicles or ulcers, são chamadas de lesões, or that abrange any rupture or irregularity in a patient.

Apparently, the lessees are assemelha to small spins or bolhas na pele, that apresentam um liquid inside sometimes. They can take 2 to 4 weeks to heal completely.

Some characteristics that may be present during periods of herpes incherm:

  • Casts that form when scar ulcers;
  • Dores and irritation that arises from 2 to 10 days após o contágio;
  • Vermelhas spots and small bolha esbranquiçadas that costumam arise days após to infecção;
  • Ulcers na região dos genitais, that we can chegar to bleed and cause to dor ao urinar;
  • Small groups of bolhas e feridas;
  • Formigamento, coceira e queimação ao redor dos genitais (são comuns slightly before um surto);
  • Burning ao urinar case as bolhas estejam perto da uretra;
  • Burning and defecating, case as bolhas estejam forthcoming from Ånus;
  • Ínguas na virilha.

These symptoms can happen not only in the scrotal sac, but also in the urethra, in the vagina, in the vulva and in the uterus. They can also appear in the mouth, nadegas, and ânus.

Our first few days are infected, infected, with similar symptoms similar to flu such as:

  • Apetite reduzido; 19659083] Febre ;
  • Mal-estar geral;
  • Muscular dores in the lower part of the coasts, nadegas, coxas ou joelhos;
  • Cansaço.

Genital herpes primária

Infecção primária é or nome given to first time as les leses do genital herpes surgem após or doente ter been infected. It can last from 2 to 3 weeks, usually, to more difficult and painful phase of infection.

Symptoms of genital herpes tend to develop within 3 to 7 years to a sexual relationship responsible for infecção, more em cases can be delayed for 2 weeks.

Or main sinal genital herpes são small bolhas grouped us genital organs. Normally, as a result, the logo is broken, forming ulcers. Na infecção primária these lesões tendem to be muito dolorosa, podendo haver também comichão no local

Além da lesão typical of herpes, a primary infection costuma vir accompanied by other symptoms, such as febre, mal-estar e dores no corpo. [19659005] Podem emerge lymph nodes (lymph glands) na região da virilha e, ulcers estiverem next à saída da uretra, can haver dor ao urinar.

We homens, asferidas genital herpes geralmente aparem no pênis ou next to ele Nas mulheres, les lesões podem be visíveis fora da vagina, but the generally ocorrem is not inside, on ficam hidden.

Quanto les internal lesões, the only sinais de doença can be vaginal corrimento e / ou desconforto during sexual ato.

As lesoes do genital herpes também podem arise in qualquer ponto do perioneo and around two patients who praticam anal sex.

Recurrent genital herpes

Após a infecção primária, as lesões do genital herpes disappear, remaining silent for several months. Na maioria two patients to infection ressurge of tempos em tempos and, in some cases, more than once per year.

Once again no organism, continue through a nerve of affected area, or genital herpes virus is installed num gânglio Nervous, close to the vertebral column, where it remains dormant.

A reativação ocorre quando or vírus multiplies neural gânglio e as particles virais migram nervo hair for or local primary infection na mules or mules (buccal or genital)

Após or initial surto, at pessoa peso doença attack can unfold anticorpos that keep an inative infecção indefinitely and assim never chegam to present a reativação.

Outras pessoas, em certos moments, apresentam novos surtos da infecção, which represents uma viral reativação, with more brand-name symptoms that gives you initial infecção.

The factors that triggered this reativação variam de pessoa para pessoa. Amongst these is physical breakdown, other infectious processes, menstruation, excessive alkaline ingestion, intense solar exposure, conditions that weaken or immune system and emotional stress.

A friction or repeated trauma not local lesa as, for example, during a sexual relationship, we can also take ao emergecion de reativações em algumas pessoas.

No entanto, there are cases of accidents in which não é possível identify nenhum fator desenatorante.

90% two patients apresentam a first time in a range of 18 months after primary infection, some may be more than 10 trips not a year interval.

The return of frequent naïve crises that caused a prolonged primary infection, with herpes initiates for a duration of more than 1 month. Com o passar two years, as crises vão ficando mais fracas and less frequent.

Some days before you give them aparerem, or patient can feel some symptoms of warning, as coceira we great lip, form, aridity, sleep not pênis e formigamento na geni região

Dessa form, muitos patients conseguem identify that a new genital herpes surt is to walk and assimilate conseguem be prepared for or treatment and care das lesões.

In other cases, or patient can not develop symptoms of infecção primária logo após a contaminação, vindo to apresentar as ulcers barely anos depois, após algum event that reduces to its imunidade.

Nestes cases, in spite of being a primara aparição das feridas, a doença behaves more like a memory of as a primary infecção, I am more short and less painful. Also, there are common symptoms such as febre and badly being.

Like the first appearance of ferides, many patients tend to believe that they are newly contaminated, and it is difficult to cause problems in their relationship with other people.

Nestas situações It is difficult to establish exactly when a patient is infected and infected or infected.

As a diagnosis or diagnosis?

OR diagnosis of herpes usually effected by a physician clinical general, urologist or gynecologist . From a consultation with specialists, there are two main ways of identifying or genital herpes: by physical examinations or laboratory.

Or physical examination occurs by assessment of two symptoms and symptoms, when these manifest.

Generally, um exame físico basta para o diagnóstico, mas o médico poderá solicitar alguns exames para confirmar o diagnóstico, como quando as lesões não são muito típicas.

Nesses casos, o médico pode colher amostras das úlceras para identificação do vírus por meio de exames laboratoriais como a cultura celular, exame de sangue, sorologia, PCR e pelo método de Tzanck.

Além do uso para o diagnóstico do paciente, as sorologias também são importantes para diagnosticar os(as) parceiros(as) dos pacientes infectados, sendo um exame capaz de identificar a infecção pelo vírus HSV-1 e HSV-2.

A detecção de anticorpos contra o herpes através de exame de sangue, no entanto, não é t o eficiente, pois não é capaz de definir o local da infecção pelo vírus, auxiliando apenas quando há suspeita da infecção.

Se o exame de sangue for positivo, o médico pode solicitar a coleta de material quando surgirem novas lesões para a confirmação do diagnóstico. Outros exames podem ser solicitados, dependendo do paciente, caso o médico suspeite de uma infecção por outras doenças sexualmente transmissíveis.

Além disso, vale ressaltar que os exames conseguem identificar o vírus, mas não fornecem informação sobre quando o paciente foi infectado.

De qualquer forma, se o diagnóstico para herpes genital for positivo, o parceiro ou parceira deverá ser informado pelo paciente, para que também realize os exames.

Exames

Quando o diagnóstico do herpes genital não é possível apenas através do exame físico, alguns exames laboratoriais precisam ser realizados para confirmar se é realmente essa doença e por qual vírus foi causada. Os exames feitos são os seguintes:

Método de Tzanck

Esse é um método bastante utilizado para o diagnóstico de infecção do herpes, apesar de não ser tão preciso na distinção dos dois tipos do vírus. Por isso, é mais recomendado para pacientes que possuem casos atípicos ou em pacientes imunocomprometidos.

Basicamente, o exame consiste no raspado da base da lesão na pele para coletar uma amostra de células gigantes multinucleadas. O resultado do exame, geralmente, leva de 7 a 10 dias.

Cultura viral

A cultura viral acontece em sequência do método de Tzanck, pois é nessa situação em que o material coletado é semeado em meio de cultura, normalmente em células pulmonares embrionárias.

Esse processo em que o vírus é colocado junto a outras células tem como objetivo proporcionar uma multiplicação desses microrganismos, para que possam ser identificados e diferenciados para o diagnóstico da doença em específico.

No caso do herpes genital, a  partir desse procedimento, é possível visualizar as alterações citopáticas, isto é, os danos que o vírus provocou nas células. Esse processo leva entre 24 a 48 horas de incubação para que seja possível observar as alterações através da microscopia.

Esse é um exame muito mais sensível em relação a precisão do resultado, pois permite que seja possível identificar a tipagem da cepa, ou seja, revelar se o herpes genital foi causado pelo HSV-1 ou HSV-2.

PCR

O PCR, ou exame de reação de polimerase em cadeia, faz um esboço do DNA do paciente por meio da análise de uma pequena amostra da ferida presente na genitália. A partir deste DNA, o médico poderá dizer se há presença de vírus causador do herpes ou não.

Sorologia

A sorologia é um exame do estudo do soro sanguíneo, específico para descobrir a presença de anticorpos no sangue, sendo os anticorpos buscados a Imunoglobulina M (IgM) e a Imunoglobulina G (IgC).

É feito através de uma coleta de sangue comum. A identificação dos anticorpos pode ser feita pelo próprio sangue ou no soro, obtido após a coagulação e centrifugação.

Esse exame é especialmente indicado para pessoas que não apresentam lesões, mas possuem desconforto na região genital ou labial.

Exame de sangue

Os resultados deste exame mostram se há presença ou não de anticorpos contra os vírus do herpes genital, indicando se houve infecção no passado. Não é o mais indicado por não identificar qual o tipo de vírus que causou a infecção.

Herpes genital tem cura?

Não, o herpes genital (ou oral) não tem cura. No entanto, os pacientes diagnosticados com a doença podem receber tratamento com o uso de medicamentos que ajudam a prevenir e a reduzir os surtos.

Há medicamentos anti-herpes que devem ser tomados diariamente, o que reduz as chances da transmissão do vírus durante relações sexuais.

Qual o tratamento?

O herpes genital é uma doença que não tem cura, mas que possui tratamento para evitar a ocorrência de surtos, amenizar os sintomas e para diminuir as chances de transmissão e complicações.

Médicos dermatologistas também são responsáveis por fazer um acompanhamento desses pacientes.

Certos cuidados locais podem ser tomados para o tratamento das lesões. Para isso, alguns medicamentos são aplicados diretamente sobre as feridas, para ajudar na cicatrização e evitar a autocontaminação.

Isso deve ser feito pois o contato com o líquido das feridas pode provocar lesões em outras partes do corpo, como quando o paciente encosta a mão sobre a lesão e acaba, sem querer, “transferindo” o vírus para outra região do seu corpo.

Quem deve receitar as pomadas ou produtos específicos para esses cuidados é o médico, pois a automedicação pode acabar piorando a situação da lesão ou prolongando seu tempo de cura.

O tratamento é feito basicamente por meio de medicamentos antivirais (em comprimidos ou pomadas), que aliviam a dor e o desconforto causados durante uma crise, curando as lesões com maior rapidez, impedindo complicações e reduzindo o risco de transmissão para outros.

As pessoas que têm muitas crises podem tomar esses medicamentos diariamente durante um tempo. Isso pode ajudar a evitar crises e a diminuir sua duração.

Para crises recorrentes, o paciente deve tomar o medicamento assim que o formigamento, queimação ou a coceira começar, ou assim que iniciar o aparecimento de bolhas.

O médico pode ainda recomendar o uso de pomadas ou geis anestésicos para serem aplicados na região genital durante o surgimento de bolhas e outros sintomas.

Antivirais

O primeiro episódio de herpes genital é geralmente tratado por 7 a 10 dias por medicamentos via oral. Se não houver melhora das úlceras, o tratamento pode ser estendido por mais 1 semana.

O tratamento funciona melhor se iniciado nas primeiras 72 horas de sintomas. Na ocorrência de outras crises, o tempo de tratamento é reduzido, podendo ser feito por 5 dias, em média.

Quando se trata de pacientes com histórico de crises frequentes, é aconselhável que mantenham em casa os medicamentos antivirais por precaução. Assim, poderão iniciar o tratamento logo aos primeiros sinais da doença.

Se o paciente apresenta raramente crises ou com poucos sintomas, pode não haver necessidade de tratamento com antivirais, principalmente se o indivíduo não tiver um parceiro sexual no momento que possa ser infectado.

Terapia episódica

Esse tipo de tratamento é feito com o uso de medicamentos antivirais quando um paciente apresenta o primeiro sinal de um surto. É uma estratégia utilizada durante poucos dias, em que o paciente recebe o medicamento para acelerar a cicatrização dos ferimentos ou para evitar que o surto ocorra totalmente.

No entanto, é preciso entender que cada paciente terá uma manifestação diferente dos sintomas e de surtos, por isso a terapia episódica pode não ser necessária em todos os casos.

Ela é mais indicada para pacientes que apresentam surtos com uma janela muito grande de dias e com sintomas mais intensos. Esse tratamento pode encurtar entre 1 a 2 dias do surto, em média.

É mais eficiente quando iniciado no primeiro sinal da doença ou do surto. Quando as lesões já estão presentes, o tratamento episódico pode oferecer poucos benefícios para o paciente.

Terapia supressora diária

Pacientes diagnosticados com o herpes genital podem verificar com o médico especialista a necessidade de realizar o tratamento de terapia supressiva diária, que é basicamente a administração de medicação antiviral diariamente.

Assim como o tratamento com medicamentos de forma episódica, essa terapia também busca reduzir as chances de surto e deixar a doença sobre controle, tornando menor os riscos de sintomas.

Para pacientes que apresentam surtos recorrentes, entre 6 ou mais por ano, esse tratamento ajuda a reduzir em até 75% as chances de crises quando comparado a pacientes que não recebem o medicamento diariamente, podendo evitar totalmente os surtos em alguns casos.

Não está claro por quanto tempo a terapia supressiva deverá ser mantida. Alguns especialistas recomendam fazer uma pausa do tratamento periodicamente (a cada poucos anos) para determinar se a terapia supressiva ainda é necessária. Se os surtos retornarem, a terapia supressiva pode ser reiniciada.

A terapia supressiva também pode ser indicada em casos de parceiros sexuais com sorologias discordantes, ou seja, um deles infectado pelo herpes e o outro não.

Esse método reduz em mais de 50% o risco de transmissão. Quando associada ao uso de camisinha, o risco de transmissão do herpes genital torna-se pequeno.

Tratamento caseiro

Além dos medicamentos antivirais, alguns tratamentos caseiros podem ser usados para aliviar os sintomas de um surto de herpes genital.

O que deve ser feito é manter a área sempre limpa e seca, se possível, permitindo que a região genital receba ar, o que ajuda a evitar o processo de cicatrização.

Por isso, é importante que as roupas e peças íntimas não sejam muito justas, pois a fricção com as lesões pode impedir que a ventilação melhor aconteça, além de poder causar maior desconforto e dor na região.

No entanto, antes de arriscar alguma receita caseira é necessário verificar a possibilidade com um médico, para evitar complicações. Sabendo que não há riscos, é possível seguir em frente com os tratamentos e cuidados caseiros. Algumas dicas são:

  • Tomar banho de assento com água fria, para diminuir temporariamente a dor causada pelas feridas;
  • Usar o banho de assento ou aproveitar o banho em chuveiro com água morna para conseguir urinar, principalmente no caso de mulheres que apresentam dor ou muito desconforto ao urinar;
  • Evitar o uso de sabão na região genital ou banhos de espuma durante as crises;
  • Manter a área genital bem higienizada e seca;
  • Evitar roupas íntimas, calças e shorts muito apertados;
  • Evitar o uso de cremes e pomadas que não foram prescritos pelo médico;
  • Verificar a possibilidade do uso de medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios para reduzir dores.

Medicamentos

De acordo com a organização Food and Drug Administration (FDA), existem três antivirais principais usados no tratamento do herpes genital, sendo eles o Acicloviro Valaciclovir e o Fanciclovir.

Esses medicamentos antivirais são receitados, normalmente, quando o paciente apresenta o primeiro episódio (ou crise) de herpes genital ou em terapia episódica e supressiva.

Medicamentos como a Lidocaína ou Xylocaina também podem ser indicados para amenizar a dor e hidratar a pele, reduzindo assim o desconforto causado pela doença quando ela está sintomática.

Conheça um pouco mais sobre os medicamentos antivirais:

Aciclovir

Esse é o medicamento antiviral mais antigo usado para o tratamento do herpes, disponível desde 1982. Inicialmente, era comercializado apenas em forma de pomada, para aplicação direta na pele. Em 1985, a venda passou a ser feita também como medicamento em forma de comprimido. Atualmente está disponível em ambas as apresentações.

É um medicamento considerado seguro para os pacientes, até mesmo para os que realizam a terapia supressiva por até 10 anos seguidos.

Além de ser utilizado para o tratamento de infecções causadas pelo vírus herpes simplex, o Aciclovir pode também ser usado em alguns casos de herpes-zóster.

Alguns dos nomes comerciais do Aciclovir são:

Valaciclovir

O Valaciclovir é um medicamento utilizado, frequentemente, para o tratamento de herpes-zóster. Após a ingestão do comprimido, o medicamento é convertido na substância aciclovir, que atua combatendo a ação do vírus no organismo.

Pode ser mais eficiente no tratamento, pois o organismo consegue absorver grande parte do medicamento, o que reduz a necessidade de tomar várias doses ao dia.

Além de contribuir para o tratamento do herpes genital, labial e herpes-zóster, o Valaciclovir é usado para inibir a ação de vários tipos de herpesvírus, tais como o citomegalovírus (CMV), o vírus Epstein-Barr (VEB) e o herpesvírus humano tipo 6 (HVH-6).

Esse medicamento apresenta os nomes comerciais Herpstal e Valtrexdisponíveis em comprimido.

Fanciclovir

Esse princípio  ativo é usado para impedir que o HSV se reproduza. Assim como o Valaciclovir, o Fanciclovir é bem absorvido, o que o ajuda a persistir no organismo por mais tempo, não sendo necessário doses altas.

Os nomes comerciais são o Fanclomax (comprimido) e o Penvir (creme e comprimido).

Atenção!

NUNCA se automedique ou interrompa o uso de um medicamento sem antes consultar um médico. Somente ele poderá dizer qual medicamento, dosagem e duração do tratamento é o mais indicado para o seu caso em específico. As informações contidas neste site têm apenas a intenção de informar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um especialista ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Siga sempre as instruções da bula e, se os sintomas persistirem, procure orientação médica ou farmacêutica.

Convivendo

Receber o diagnóstico de uma doença como o herpes genital pode desencadear uma série de problemas emocionais no paciente. É comum que se sintam, inicialmente, com vergonha, raivafrustrados ou depressivos com a situação.

Esses sentimentos negativos, normalmente, estão associados ao fato de se tratar de uma doença sexualmente transmissível. Nessa condição, pode ser que o paciente tenha de enfrentar também um preconceito atribuído a doença.

Contudo, o herpes genital é uma doença bastante comum, sendo que na maioria dos casos os portadores do vírus nem sabem que o possuem. Por isso, por mais difícil que seja conviver com a doença, é preciso aceitá-la.

Mesmo que as pessoas entendam a situação como algo ruim, é preciso que o paciente não seja tão cruel consigo mesmo. Os sentimentos ruins sentidos nesse momento de descoberta tendem a passar, os sintomas podem ser controlados e a transmissão prevenida.

Alguns cuidados básicos também podem ajudar o paciente a lidar melhor com a doença, curar as lesões mais rapidamente e impedir sua recorrência, como:

  • Não usar meias calças, roupas íntimas ou calças de nylon ou de outros materiais sintéticos;
  • Usar roupas de algodão confortáveis;
  • Lavar a região suavemente com água e sabonete neutro;
  • Tomar banhos mornos para aliviar a dor (depois do banho, mantenha as bolhas secas).

Além disso, outras mudanças e dicas que podem ajudar no convívio são:

Se informe

Após receber o diagnóstico, o paciente pode se ver em uma situação em que se sente perdido ou assustado. A falta de informação sobre a doença pode ajudar a tornar esse momento ainda mais complicado.

Por isso, é fundamental que o paciente busque informações sobre o que é herpes genital e como será o convívio com a doença dali pra frente.

Converse com seu parceiro sexual

Ter uma conversa com o seu parceiro sobre o herpes pode ser difícil, mas é inevitável. Esse diálogo deve acontecer para a sua saúde, para a dele e para o relacionamento continuar ou começar de forma saudável e honesta.

Não existe uma receita de como deve ser essa conversa, mas é importante que o paciente saiba que contar para o parceiro a sua condição também é um sinal de confiança. Tão importante quanto, informar o parceiro sobre a DST é reduzir as chances de transmissão da doença.

Dessa forma, é possível investigar também se o parceiro foi infectado pelo vírus. Se não for o caso, as medidas de prevenção devem ser iniciadas. Caso o parceiro tenha sido infectado, ou já estiver, ele também deve começar o tratamento.

O fato de não saber em que momento se foi infectado pelo vírus pode ser um dos pontos mais negativos da doença, pois pode acabar causando desconfiança entre o casal. Por isso é tão importante que haja esse tipo de conversa, para que tudo fique esclarecido.

Como visto, o vírus pode se manifestar após meses ou anos, às vezes não se manifesta nunca. Isso, no entanto, não elimina o risco de transmissão. Dessa forma, além da conversa, conhecer outras pessoas e casais que passaram por isso pode ajudar.

Siga corretamente o tratamento

Seguir o tratamento prescrito pelo médico é fundamental para evitar complicações e para prevenir a transmissão do vírus.

Portanto, o paciente deve respeitar as orientações em relação aos medicamentos e cuidados, principalmente durante as crises e surgimento de lesões. O uso de preservativos durante relações sexuais deve ser feito, sempre.

Mantenha o sistema imunológico fortalecido

Quando o organismo está com seu sistema imunológico enfraquecido, as chances de surtos do herpes genital aumentam. E é durante as crises que o risco de transmissão se torna ainda maior.

Por isso, o recomendado é que o paciente mantenha uma vida com hábitos saudáveis, como alimentação balanceada, exercícios, estresse controlado e qualidade de sono.

Tenha cuidado com os sintomas durante os surtos

Quando o paciente apresenta lesões, os cuidados devem ser redobrados. É importante tomar cuidado com os produtos utilizados, como sabonetes íntimos e cremes, que podem acabar irritando ainda mais as feridas e prolongando a cicatrização. O uso de pomadas e cremes só deve ser feito com orientação médica.

Além disso, devem se atentar caso passem a mão sobre as feridas, pelo risco do contato com o líquido presente nas lesões. Assim, podem acabar transferindo o vírus de lugar e provocando lesões em diferentes partes do corpo.

Prognóstico

Uma vez que um indivíduo é infectado, o vírus permanece no corpo para o resto da vida. Algumas pessoas têm somente uma crise, e outras têm crises frequentes.

Em pessoas com um sistema imunológico normal, o herpes genital permanece como uma infecção localizada e incômoda, mas raramente provoca risco de morte.

O herpes genital, apesar de não ser uma DST com grandes riscos em pessoas com sistema imunológico estável, é muito comum e preocupante, pois mesmo assintomática é capaz de ser transmitido. Além disso, a infecção por esse vírus aumenta as chances de adquirir e transmitir o vírus HIV.

Complicações

O herpes genital é uma condição comum, que pode ser controlada com medicamentos e cuidados com a saúde. No entanto, em alguns pacientes com sistema imunológico mais debilitado e em pessoas que não recebem o tratamento adequado, as chances de complicações crescem.

Veja em quais condições o herpes genital pode evoluir para quadros mais graves:

Outras DSTs

Pacientes com herpes genital possuem um risco maior de contrair outras doenças sexualmente transmissíveis, por isso podem ter como complicações infecções como a do vírus HIV.

Dessa forma, além do tratamento feito para controlar o herpes, o paciente terá que tomar cuidados adicionais para evitar a transmissão de outros vírus, incluindo o fato de poder sofrer sintomas mais graves.

Danos no feto

Essa é uma complicação bastante preocupante que pode acontecer quando a gestante transmite para o bebê o vírus do herpes genital. Essa transmissão é rara, conhecida como transmissão vertical. Não acontece quando o bebê está na barriga da mãe, mas sim durante o parto.

O contágio de herpes por bebês recém-nascidos pode resultar em danos cerebrais, cegueira e pode levar até mesmo à morte em casos mais severos.

Problemas de bexiga

O herpes genital pode provocar feridas na região da uretra, o que acaba obstruindo a saída de urina. Nesses casos, o paciente pode precisar fazer uso de um cateter para fazer a drenagem da bexiga.

Meningite

A meningite é uma inflamação que acontece nas meninges, membranas responsáveis por proteger e revestir o cérebro e medula espinhal. Pode ser provocada por diversos agentes infecciosos, incluindo o vírus do herpes. É uma doença grave que pode levar o paciente à morte.

Retite

É uma inflamação que ocorre no reto, normalmente provocada por doenças sexualmente transmissíveis. É causada, na maioria das vezes, pelo ato sexual sem uso de preservativos.

Os principais sintomas dessa condição são hemorragias indolores e secreção de muco. No caso da retite causada por herpes, o paciente pode apresentar fortes dores na região.

Infecções mais graves

Algumas pessoas podem desenvolver infecções muito graves por herpes que acometem o cérebro, olhos, esôfago, fígado, medula espinhal ou pulmões.

Essas complicações normalmente se desenvolvem em pessoas com um sistema imunológico enfraquecido, como aquelas que estão passando por quimioterapia, radioterapia ou que tomam doses altas de cortisona.

Como prevenir?

A única forma 100% garantida de não se contrair nenhum tipo de DST é não manter relações sexuais. Contudo, quando as pessoas possuem uma vida sexual ativa esse “método” já não serve.

Por isso, a melhor forma de prevenção dessa e de outras doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) é fazendo o uso de preservativos durante os atos sexuais.

Se o parceiro ou parceira estiver infectado com herpes, é melhor evitar qualquer tipo de contato sexual até que a doença esteja sob controle, principalmente durante a manifestação dos sintomas.

Sendo assim, é importante ter uma comunicação aberta com o seu parceiro para evitar qualquer forma de contágio.

O uso de camisinha reduz a chance de transmissão, mas não a elimina completamente, uma vez que as lesões do herpes podem surgir em áreas da região genital que não ficam cobertas pelo preservativo.

Por exemplo, uma lesão de herpes na bolsa escrotal continua exposta mesmo com o uso apropriado da camisinha.

O vírus não sobrevive muito tempo fora do c orpo humano, por isso a transmissão ocorre apenas pelo contato entre pessoas, não sendo possível se contaminar em banheiros, com toalhas e outros objetos.

No caso de gestantes infectadas pelo vírus, para prevenir a transmissão para o bebê, é necessário um acompanhamento médico e a orientação para um tratamento com antivirais, principalmente nos primeiros e nos últimos 3 meses de gestação.

Perguntas frequentes

O herpes genital é uma doença sexualmente transmissível bastante comum e que desperta várias dúvidas para as pessoas infectadas ou não. Veja as mais frequentes:

Existe alguma relação entre o herpes genital e o HIV?

Sim. A infecção provocada pelo vírus do herpes pode provocar cortes na pele da boca e da região genital, o que pode facilitar a entrada do vírus HIV no organismo.

De acordo com estudos feitos pelo Instituto Carlos Chagas junto ao Departamento de Pediatria da Universidade Federal de São Paulo, a presença do HSV-2 aumenta o risco de aquisição, excreção e transmissão do HIV.

A presença do vírus HSV-2 também pode acelerar a progressão da doença em pacientes com HIV.

Ainda posso ter relações sexuais normalmente se tiver herpes?

Pacientes com herpes genital não estão destinados a uma vida de castidade só porque foram diagnosticados com a doença, no entanto precisam saber que os cuidados devem ser redobrados.

O primeiro passo para conseguir manter uma vida sexual sem riscos de infecção para o parceiro é conversando e deixando claro a condição para a outra pessoa.

Com o tratamento feito com medicação antiviral supre ssiva e com o uso de preservativos, o risco de transmissão é reduzido, mas não é nulo. Por isso, é importante ter um acompanhamento médico para que a doença não atrapalhe a vida sexual do paciente.

Além disso, é importante ressaltar que se deve evitar relações sexuais quando o paciente está durante um surto da doença, pois é nesse período em que o risco de transmissão é maior.

O que acontece se eu não receber o tratamento?

Não receber um tratamento pode ser perigoso para pacientes com herpes genital. Isso porque a doença pode provocar feridas genitais dolorosas e outras complicações para a saúde.

Essas complicações, inclusive, são um risco ainda maior para pessoas que apresentam sistema imunológico debilitado.

Se a gestante tiver herpes, o parto vaginal é seguro?

Depende. O risco de transmissão é maior quando a gestante foi infectada pelo vírus durante a gravidez, entre os 3 primeiros ou 3 últimos meses de gestação. Nesses casos, o parto normal pode ser um risco maior para o bebê.

Isso porque o organismo da mãe não teve tempo suficiente de produzir os anticorpos necessários para proteger o bebê. Contudo, o tratamento com antivirais pode ajudar a diminuir o risco, sendo a primeira opção de tratamento para tornar o parto seguro. Quando isso não é possível, o parto cesáreo se torna uma opção.


O herpes genital é uma DST bastante comum e sem cura. O tratamento pode ajudar a controlar a doença e a reduzir as chances de transmissão, mas ainda não é suficiente para eliminar 100% os riscos.

Torna-se cada vez mais importante enfatizar a relevância de uma boa educação sexual, para que as pessoas saibam a importância do uso de preservativos para reduzir os riscos de doenças como esta.

Buscamos neste artigo esclarecer todos os riscos do herpes genital e mostrar formas de tornar essa doença sobre controle.

Se você possui ou conhece alguém com essa doença, deve saber o quanto é importante que as pessoas tenham acesso às formas de prevenção. Por isso, não se esqueça de compartilhar com mais pessoas essas informações. Obrigada pela leitura!

Referências

Clemens, S., & Farhat, C. (2010). Soroprevalência de anticorpos contra vírus herpes simples 1-2 no Brasil. Revista De Saúde Pública, 44(4), 726-734. doi: 10.1590/s0034-89102010000400017
Geller, M., Suchmacher Neto, M., Ribeiro, M., Oliveira, L., Naliato, E., Abreu, C., & Schechtman, R. (2012). Herpes simples: AtuAlizAção ClíniCA, epidemiológiCA e terApêutiCA. Jornal Brasileiro De Doenças Sexualmente Transmissíveis, 24(4), 260-266. doi: 10.5533/dst-2177-8264-201224408
http://www.who.int/news-room/fact-sheets/detail/herpes-simplex-virus
https://www.healthline.com/health/std/genital-herpeshttps://
www.cdc.gov/std/herpes/stdfact-herpes.htmhttp://
www.ashasexualhealth.org/stdsstis/herpes

Loading…

Emily Harris
 

Hi Guys, Girls, and Cats:-p I am Emily Harris, and you can see in above pic. She loves me I swear. I saved her from a dumpster a few weeks back.

Click Here to Leave a Comment Below 0 comments